Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arroz Doce e Canela

Arroz Doce, trata-se de um Blog com o objectivo de ser lido, tal como todos os outros... Mas o que distingue este mero espaço cibernético dos restantes é basicamente o facto do autor ser um bocado, digamos... esquisito... Mas que gosta de vós!!

Transparência

Olá. Quem sou eu? Uma pergunta simples que muitos fazem e respondem com respostas muito limitadas e vazias, como se retratassem de seres planos e sem entusiasmo àquilo a que chamam vida. Eu não fujo ao padrão, não porque não tenho os ingredientes para cozinhar a minha refeição, mas sim porque não me oriento numa direcção onde consigo concluir a resposta. Porém perco imenso tempo a debruçar-me à volta dessas 3 palavras de interrogação, bem que já tentei facilitar ao máximo, mas o resultado nunca me satisfez, como posso eu e outros facilitarem este problema complexo, podem ser escritos livros para descobrirmos quem realmente somos, onde todas as tintas que carregamos ficam registadas e nos tornamos transparentes, de nada serve uma simples palavra, não nos estamos a vender, estamos a dar-nos a conhecer.

Quanto a mim, posso dizer que não sou uma "pessoa ideal". Não sou ideal em nenhum universo. Tenho falhas, muitas delas até. Não sou um produto de excelência da sociedade, não sou um exemplo para ninguém, não sou um motivo de orgulho. Não me tomem por pessimista, eu apenas não sou de agradar aqueles que exigem ser agradados. Prefiro ser honesto comigo do que carregar máscaras para tapar o verdadeiro rosto do Sol que todos vêem.

Já cantei muito o fado, verdade seja dita, o mundo já perdeu todas as suas cores à minha frente, estive desligado no lado escuro, mas mudei de vida, pintei de novo o meu horizonte, o fado é lindo, mas para ser cantado e ouvido, não para ser guardado e sofrido, preferi voltar à dança e soltar-me de todas as âncoras. Para deixar aqui uma linha, não apanhei tudo o que há de mau para se pescar, o meu problema foi somente um, ter o coração distante da cabeça, é o problema quando fugimos demasiado da realidade, esta volta e deixa uma nódoa bem marcada. A dor que esta me deixou foi algo forte, andei devagar pelas ruas, tudo à minha volta eram sussurros, os meus olhos desesperavam por estar a ver a verdade. Começava os dias cansado e acabava-os a fraquejar.

Felizmente sou algo diferente, graças aos meus amigos, graças a mim, não sei se estou melhor mas sei que me sinto bem, o sol sorri para mim e sinto-me forte para enfrentar qualquer obstáculo. Quem sou eu? Não posso fazer esta pergunta pois é um oceano sem terra à vista, fico sempre à deriva. Sempre que surge tal ponto de interrogação lembro-me da fase negra, de algo que já fui, mas não quem realmente sou...

Talvez a razão para tal seja simples, talvez seja por não me querer moldar em algo pré-definido, talvez não tenho capacidade para responder, a única certeza que sei é que estou a viver cada dia fazendo de mim quem sou hoje, não quero ser nenhum herói, não estou aqui para salvar o mundo, porém não sei se preciso ou não de ser salvo, quem eu sou parece não importar muito... Por enquanto basta encarar o mundo com bons olhos e saber que qualquer dia pode ser aquilo que vem-nos à memória como uma frase batida:

"Hoje é o primeiro dia do resto da tua vida" - Sérgio Godinho

Algumas Pegadas

Olá. Hoje escrevo com o objetivo de me refugiar, não só do frio que me vai gelado o sangue mas igualmente da minha cabeça que decidiu encher-se de pensamentos de todo o meu caminho, caminho este que já teve inúmeras formas, desde uma simples linha reta, um círculo interminável, ondulações algo turvas e outras vezes simplesmente assumiu-se como labirinto. A vida é certamente algo inconstante e rebelde.

Neste começo de natalícia, o espírito de partilha apoderou-se de mim, talvez seja culpa das ruas iluminadas ou da predominância dos tons vermelhos nas montras, o Natal é sempre uma época de reflexão, todos os valores nele incutido pairam no ar e vive-se uma época de paz física, digo física pois a pobre cabeça não tem descanso. Desta forma irei contar-te um pouco da minha caminhada.

"Às vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido." - Fernando Pessoa

Gosto da minha vida. Não mentirei. Posso não ser alguém que prova constantemente o sabor do sucesso, aliás, a acidez da derrota já nem me consegue corroer e dessa forma, vou deixando o meu queixo num ponto alto que permita ver o meu trilho. A vida gosta de pregar as suas partidas, existe sempre um pedra que nos vai fazer tropeçar, estou ciente disso, já tive lições mais do que suficientes para entender isso e felizmente fui aprendendo.

Eu tenho emoções, consigo ser uma pessoa emotiva, às vezes fico pasmado por não me conseguir controlar, isso por vezes foi o meu grande defeito, pois não consegui definir um objetivo, não fui sereno. Nisto posso já afirmar, nunca devemos ser emotivos na totalidade, pois as emoções podem tornar algo um valor pessoal e o que nos é querido, pode ser uma cicatriz futura. O meu grande exemplo para tal trata-se de uma daquelas histórias lamechas onde um adolescente descobre um pouco do "amor", a minha cegueira era tal que nem me deixou se quer precaver, caminhava a passos largos numa ponte estreita, por cima de um abismo. Um simples desinteresse por mim causava-me um grande estrago, o tempo veio assim ditar um estranho desenlace, não sei se fui atraiçoado, mas senti-me traído, mesmo sem ter certeza, por algo que nunca chegou a existir...

Já observei o poder da fama como elemento corrupto naqueles que me acompanham, pessoas que outrora já pude guarda-los na gaveta da amizade que se tornaram repulsivas, como uns bons anos não fossem tempo suficiente para se manter uma boa amizade, afastaram-se de mim pensando que não os estava a ver. Dessa forma consegui logo ver o quão estragada fica a humanidade, quando se procura popularidade.

O insucesso não está à parte de mim, já tinha contado eu sei, mas nunca deixa de ser frustrante quando leio os livros do meu passado e vejo algo em que tanto me dediquei, cada treino sempre pingando gotas de suor e nunca ser visto como alguém prestável para aquele que decidia a equipa, mesmo quando cá fora ninguém percebia o porquê de não estar o miúdo em campo. Custa, mas felizmente já não me pesa.

Hoje sou um indivíduo mudado, diria até experiente, mesmo não tendo idade para dizer isso, creio que posso dizê-lo com toda a certeza. De certa forma, posso agradecer por todos os que me vincaram dobras permanentes como numa folha de papel, pois tornaram-me em quem sou hoje, mais liberto e consciente de tudo, a minha caminhada vai seguindo, sei que estou no sentido certo e que todos aqueles que ainda me acompanham são um tesouro que devo proteger com a minha vida. No meio de toda esta mixórdia, gostaria de terminar citando uma célebre frase de Lavoisier, "nada se perde, tudo se transforma", eu já me vi como um caso perdido, mas na verdade nunca estamos perdidos, às vezes basta só mudarmos de faixa, tudo depende de nós próprios.

Viva os Feios!!

Oláá!! Quero começar desde já por dizer que sou um apreciador de publicidade, adoro uma boa promoção de produto ou serviço e odeio anúncios completamente estúpidos e sem lógica.

Hoje, enquanto navegava na grande rede do youtube, pude deparar-me com a nova campanha "Feios mas Frescos" do InterMarché. Sem dúvida das coisas mais motivadoras que já vi. Uma publicidade bastante original, que visa obter mais lucro com a venda de produtos "renegados" do mercado.

O ser Humano tem sempre tendência em escolher beleza, quanto mais perfeito e esbelto algo for, essa será sempre a primeira opção e não acho incorrecto, queremos perfeição, somos uma raça de perfeccionistas, cheia de cânones. Algo que o InterMarché está a tentar contrariar no que toca a frutas e vegetais. Estes produtos vegetarianos não deviam depender da sua beleza exterior na hora do julgamento do carrinho de compras, como  nada devia depender da beleza aliás e esta camapnha tão bonita pretende demonstrar isto mesmo.

Experimentem dar uma vista de olhos, vejam o link do canal de Youtube do InterMarché:

http://www.youtube.com/channel/UC2JNk1nxsnoHdMmyDcvIaFg

E aqui deixo a minha publicidade preferida deles, até me deixa com pele de galo (porque não sou uma menina):

 

Tu Conheces esta História

Olá. Não te vou escrever nada de novo, não te irei afirmar factos, não pretendo agora escrever para te acrescentar o que quer que seja, irei apenas contar algo que já sabes.

Durante toda a tua vida já ouvis-te e ouvirás coisas lindas, motivantes e que te deixam forte. Também já captas-te momentos horríveis que te fizeram olhar para o chão, onde entras-te em desespero e onde não conseguiste encontrar um significado, nem em dicionários. Tu sentis-te, tu sabes.

Tiveste a oportunidade de rir, dar gargalhadas até, sozinho(a) ou com mais alguém a acompanhar-te. Já choraste por ter sentido de certa forma toda a conjugação do verbo perder. Irás rir e irás chorar no futuro e tu sabes isso.

Tens a tua forma de te interpretar e de ver a vida no seu todo, tens a noção de que nunca irás estar a par de muitos mistérios e presentes que o mundo tem para oferecer. Nunca poderás adquirir a sabedoria no seu todo, podes até mesmo não chegar a conhecer-te totalmente.

Vais ter pessoas que vão aplaudir o teu sucesso, invejar o teu sucesso, odiar o teu sucesso e até mesmo pisar-te para terem sucesso, algo que tu já sabias.

Irás ter sonhos que poderão nunca vir a ser concretizados, devido a obstáculos que não conseguis-te ultrapassar ou simplesmente o esforço não foi suficiente ou simplesmente a tua constituição física não o irá permitir, tu já sabias disso e se calhar até já o aceitaste...

E no entanto, neste momento, estás a ler este post, consciente de tudo aquilo que acabas-te de ler, tudo isto escrito por um mero Blogger, que mesmo sendo insignificante na tua vida, sabes que tenho razão. Tu sabes.

Mas mesmo assim, mesmo sabendo de tudo isto, foste e serás sempre apanhado(a) de surpresa, não estás mentalmente capaz para prever o que te irá acontecer, felizmente... Felizmente pois isso irá tornar a tua vida emocionante, mesmo conhecendo o mistério todo, não conheces nada ao certo, e tens a noção disso.

Portanto, mesmo pensado que sabes, ao certo nada sabes e vais vivendo à tua maneira, porque isso pouco importa, não interessa saber e conhecer tudo, o que interessa é envelhecer e experienciar todos os episódios da vida.

Tu isto para chegar a uma conclusão que tudo o que sabes é inválido, não é certo, não é somente o teu saber que vai garantir algo, não depende só de ti, a vida é espontânea, estás numa montanha russa que nunca para até partires, tudo o que te resta fazer é viver e isso não te incomoda, porque já sabias de tudo isso.

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D