Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arroz Doce e Canela

Arroz Doce, trata-se de um Blog com o objectivo de ser lido, tal como todos os outros... Mas o que distingue este mero espaço cibernético dos restantes é basicamente o facto do autor ser um bocado, digamos... esquisito... Mas que gosta de vós!!

Carnaval

Olááá, eu já vi uma rocha cor-de-rosa, sim leram bem, e agora querem que vos diga o quê? Vi uma rocha cor-de-rosa, nada de especial, apenas vi, por acaso não é muito comum isso acontecer... Mas creio que uma rocha rosa não merece mais atenção que outras rochas, porque as rochas foram todas fundamentais desde da pequena pedra da calçada, até à primeira roda!
Bem chega de falar sobre assuntos derivados de minerais, vamos agora mudar para um assunto de enorme alegria, o carnaval!!!

Ora o carnaval trata-se de uma época festiva onde os humanos aproveitam-se para se mascarar, de qualquer coisa, desde do simples fato do zorro e princesa, até à princesa descascada e aos fatos de pénis.

Dito isto, o carnaval resume-se a um evento mediocramente giro, porque existem pessoas a mascararem-se de clementina, e atenção eu gosto de pêssego, mas creio que não pode ser qualquer um a vestir tão fabuloso disfarce, tem que se saber muito sobre a cultura dos citrinos, à que apreciar o lado laranja da vida, todos esses que desrespeitam esta cultura mereciam ser levados por uma grande bentania, ventania aliás, eu sou da margem sul, não tenho pronúncia do norte.

Atenção, eu estou a ridicularizar este texto, não me achei uma pessoa insensível, estúpida e com mau cheiro nas axilas, porque eu meto sempre desodorizante, e apesar de ter chamado o carnaval num evento mediocramente giro, trata-se num evento onde não existem preconceitos e existe até mais liberdade, fora de julgamentos, no carnaval ninguém leva a mal, mas se me atirarem com ovos podres eu vou estrela-los nas vossas caras!! Não vou não... pois não sou violento, mas é uma situação algo desconfortável para mim.

Quanto ao vento, o vento é capaz de dar mais originalidade ao carnaval, pois com a sua força pode levar as pessoas mascaradas de peixe até ao rio, fazer voar os que estão mascarados de pássaros e fazer as clementinas voltarem para as suas árvores... O que é que o vento é para aqui chamado? O Blog é meu, por isso eu é que mando!! Estou a brincar com vocês, é carnaval, não me levem a mal. Bem para 15º post, o arroz doce e canela continua razoável!!

Sardinhas Enlatadas

Olááá, imaginem uma lata de leite condensado, e agora uma colher a tirar uma pequena porção do delicioso doce e depois cuidadosamente colocada no vosso paladar, libertando um prazer de doçura, despertando até o pecado da gula de dentro de nós, mas não chegam a comer nada porque isto trata-se de um blog e não de vida real, atinem lá essas cabeças, agora iam para aqui estar a comer leite condensado através do meu blog? Por favor, o ser humano ainda não desenvolveu esse tipo de tecnologias, onde é que tinham a cabeça?!

Bem hoje vou escrever sobre, humanos enlatados nos transportes públicos! Porque a arte de enlatar pessoas afeta qualquer um de nós e causa uma grande diversidade de sentimentos dentro da pessoa, portanto, ensandwichada, enlatada aliás, ensandwichada é complicado de escrever.

Ora a situação que mais me causa desconforto neste tipo de situações é a colocação dos braços, é que é mesmo chato, quando estou a ser espremidido por humanos, não sei se devo cruzar os braços, de ficar com eles para baixo ou se fico a fazer o pino! A última opção parece ser a melhor, mas não sei fazer o pino pois sou alérgico aos amendoins, mentira não sou e também uma coisa não tem nada a haver com outra, daaah!

Bem voltando às mãos, uma vez estava tão enlatado que quando tentei coçar uma ligeira comichão no escroto, acabei por tocar no glúteo de um senhor, ora eu não tenho nada contra tocar em glúteos, pois tocar em glúteos é das atividades mais antigas da história do Homem, mas um homem geralmente não fica geralmente agradado quando outro homem lhe toca no glúteo, epá tanto homem, oh mãe! Ahahahha desculpem, perceberam? Não interessa, continuando o assunto das sardinhas. Noutra situação, também caricata, ao tentar avistar a minha retaguarda, o meu movimento da cabeça acabo por embater na cabeça de outra sardinha, que mais parecia um bacalhau, pois ocupava muito espaço dentro da lata, também foi uma situação também chata, retiro o que disse!! Afinal não era um bacalhau mas sim uma chaputa!!

Portanto se querem um conselho meu para este tipo de situações, não se mexam, sejam as sardinhas que já são e não inventem!

Bem já chega de conversas de pesca, agora se não se importam vou tratar das minhas guelras, blup blup blup.

A Felicidade

Olááá, epá cheira mesmo mal, eu sabia que os bróculos não iam cair bem, ainda por cima quando acompanham um peixe cozido banhado em azeite, é que se forma uma mistura potente que se expande num aroma desagradável, mas chega de falar de coisas mal cheirosas.

Hoje irei começar por vos revelar uma verdade tão forte aos vossos sentidos, que até se sentiram diferentes neste mundo, algo tão simples que nunca nós reparamos... Aqui vai... O Sol é de dia e a Lua é de noite. Podem parar de ler por instantes, eu sei que esta afirmação leva-vos a entrar num mundo cheio de Filosofia, onde o preto no branco tem algumas cores no meio.

Já faz muito tempo desta minha descoberta, creio que foi a maior descoberta que fiz com poucos anos vividos no planeta Terra, planeta acompanhado com estes dois amigos, o Sol e a Lua.

Só de pensar nesta grande descoberta para mim quando pequeno, traz-me uma pequena felicidade hoje já sendo grande. Felicidade... O que é a felicidade? Para os meus óculos, felicidade é única e necessaria para as nossas vidas, é o que torna o mundo com mais cores, é o que faz abrir os nossos lábios numa grande curva acompanhada com pequenas pérolas à vista, um sorriso... tipo colgate herbal white com extratos de limão, que torna os dentes fortes e brilhantes!

Creio que a felicidade, a verdadeira felicidade, não pode ser exposta dentro de nós durante 24 horas por dia, a felicidade deve ser vivida para aqueles pequenos momentos que nos fazem apreciar um pouco mais o facto de conseguirmos respirar, de viver, estar com a família, os momentos com os nossos amigos, pessoas a baterem com a cara contra portas... São momentos lindos onde a verdadeira felicidade está dentro de nós.Quero com isto dizer que, a felicidade não implica ter os dentes à mostra a toda a hora, mas sim sorrir nos verdadeiros momentos com os nossos.
Ainda estão a ler este post? Não têm mais nada que fazer?! Vão abraçar alguém que seja precioso para vocês, não percam mais tempo a ler isto!!

Tomates Jovens

Olááá!! E pronto, a saudação inicial fica por aqui, sim? Não entrar em nenhum tipo de "enchimento de chouriços" a retratar algum acontecimento ou citação estúpida para proporcionar um momento engraçado ao/à leitor(a), não! Parem, já disse que não vou faze-lo, não sejam chatos por favor!

Sabiam que as sobrancelhas servem para protejer os olhos das nossas (ou de outros, existe possibilidade de tudo acontecer) gotas de suor? Claro que sabiam, só nunca tinham pensado nisso, para quê pensar em sobrancelhas?

Veio a maria clementina... Veio a maria clementina...

Hoje, enquanto viajava pelo metropolitano de Lisboa, ouvi uma conversa entre dois homens e gostava de lançar um momento de refleção, ora vou então divulgar o conjunto de palavras lançadas por um dos senhores (o que era careca): "metam os putos a trabalhar, eles só coçam os colhões". Elaaaaah, não estavam à espera desta pois não, desculpem, mas uma citação tem de ser citada tal e qual como o "autor" a escreve.

Ora como todos nós sabemos, Portugal atravessa um periodo de dificuldade, e existe muito desemprego, neste caso, o desemprego dos jovens. Existem muitos casos de pessoas que acabam a licenciatura e não conseguem entrar no mercado de trabalho. Ora, regressando à citação, eu sou ainda um jovem, e sendo do sexo masculino, quando existe uma situação de desconforto nas minhas partes genitais, nomeadamente uma comichão, é normal que de seguida coçe os devidos testículos, mas será isso uma qualidade? Quando alguém afirma que os jovens não fazem nada e apenas só coçam os "colhões", está a afirmar uma escassa qualidade certo? Mas nem todos os jovens andam para aí a coçar os tomates, principalmente as raparigas, não faz sentido, elas não têm uma agricultura como os rapazes! E estatísticas sobre isto? O que é que me comprova que os jovens realmente andem a coçar os seus frutos secos em vez de trabalharem? Não sei, se calhar devia coça-los mais para saber...

Pensem bem neste delicado assunto, ou então esqueçam, é melhor, não iam chegar a lado nenhum...

 

tomatoes.jpg

Fig1. Tomates

 

 

Teste de Marketing

Olááá, a minha barba já está a ficar um bocado grande, mas isso até me dá aquele ar de filósofo e mauzão, grrrrrrr sou mau hehehehe. Ai calma lá que eu estou aqui com uma comichão nas costas... pronto já passou.

Hoje vou escrever um pouco sobre o meu dia, comecei por acordar, cedo para caramba (caramba é uma palavra gira), despachei-me e depois apanhei o autocarro para o terminal de barcos, em direção à capital, mas aí é que algo de estranho aconteceu!

Quando estava já a meio da viagem de Barco, o B caíu e fiquei num arco, uma espécie de ponte, ora a ponte tinha muitos metros, desses tantos entrei no metro, já no metro aquilo dizia "take care of your belongings" e dos BElonginS tirei o BES e fiz um login no facebook, para ver se também alguém estava numa viagem estranha como eu, mas ninguém estava online. Entretanto, dentro do metro, vi uma publicidade da Coca-Cola, e no meio disso alguém diz "és cola!", e quando dei por mim já estava na escola. Tive um teste de marketing, aquilo tinha uma pergunta lixada do Kotler, raios partam ao Kotler!!

Acabei o teste e o resto das aulas, fui almoçar a um chinês que fazia comida árabe, Koninchiuá, Sa lá malenko e voltei para casa. 

Em casa, estava tudo bem. Não aconteceu mais nada. Vão estudar.

Batata Cozida

Oláááá, a carga pronta e metida nos contentores, adeus oh meus amores que me vou, aaah apanhei-vos! Eu não vou a lado nenhum, vou ficar aqui a escrever mais um post aborrecido e estupido para as vidas humanas, vocês podiam estar a doar sangue e em vez disso estão aqui a ler o meu blog, e ainda bem!!

Neste post irei escrever sobre uma antiga e respeitada arte do Homem, uma arte gastronómica para ser exato, estou eu a falar da Batata Cozida. A batata cozida é uma arte que tem sido esquecida no mundo, em quanto se fala da polémica das obras de Miró, não existe nenhum órgão de comunicação social a falar da pobre batata cozida, é uma vergonha!

É uma arte linda onde se coloca as batatas com ou sem casca numa panela com água fria e depois se deixa a ferver durante 25/30 minutos, em seguida serve-se os devidos tubérculos a acompanhar um magnífico peixe, ou até outro tipo de carne (sim, porque peixe também é carne!), banhadas em azeite, molho ou até manteiga!!
Por favor, temos de divulgar esta arte em vias de extinção, não se trata de um mero método gastronómico, mas sim de uma das maiores artes do mundo! Eu sou fã do tubérculo ebulido, e vocês?!

 

fig.1 Batata cozida

 

O Amor

Já estão aí?! eu ainda agora cheguei, calma tenho de inventar algo inteligente... figgis! O que é que eu ando a fazer da vida...
Bem hoje é dia 15 de Fevereiro, pós dia de São Valentim, onde os namorados ainda namoram só que não estão num dia de celebração especial, ou até se calhar estão, eu não sei cada um tem a sua vida, não olhem assim para mim! Eu estou a esforçar-me sim?
Ai o amor, é uma coisa linda não é? Transforma qualquer montanha num grão de areia, torna o escudo mais forte numa folha de papel, inverte a dureza em flacidez, sempre quis escrever flacidez num texto...

Mete os pombinhos a cantar, aliás, garças, mete as garças a cantarolar e mete uma fotografia da pessoa amada mesmo à nossa frente, constantemente, na nossa mente, faz-nos acordar de manhã e comer o pequeno almoço enquanto imaginamos a sua companhia ao colo do nosso coração. Faz as flores acordarem à medida que caminhamos pelas ruas, ah pisei cocó de cão! Carambas pá, estou a tentar ser romântico! Continuando...
O amor é uma força indomá... desculpem não consigo continuar isto está a cheirar mesmo mal.

fig1. cocó

Gotas Ácidas

Olááá, epá finalmente veio sol! Já estava a ficar ligeiramente aborrecido com a chuva, é que eu tenho uns ténis de camurça de que gosto muito, e sempre que os usei, o tempo pregou-me sempre a gracinha de se deixar chuver!! É muito chato quando me chovem, não gosto muito quando alguém decide chuver em mim, é que com isto da poluição e tal, é uma chuva que deixa mancha, por amor de deus parem de se chuver em cima de mim!!

Desculpem lá este momento, é um assunto muito sensível para mim...

É um facto, o sol parece estar a acordar depois de um inverno cheio de chuva e hemorróidas, iupiiii, é impossível ficar sem saudades do potente calor do sol, de não estar enchouriçado de roupa, do sabor da frescura enquanto estamos a ser assados e claro, das piscinas... dos sovacos.

Mas apesar de estar feliz com o regresso do nosso amigo Sol (então Sol tasse bem?!), não é deste que irei escrever neste post, mas sim das gotas ácidas.

O que são as gotas ácidas perguntam vocês, os meus queridos leitores, gosto tanto de vocês, são todos uns fofos :)... Bem voltando ao assunto, as gotas ácidas aparecem depois de uma chuva, quando uma precipitação temporal termina, deixa sempre os seus restos, principalmente em varandas, ou outros lugares mais altos que a altura média dos seres humanos. Aquela quantidade de água que se vai acumulando até se tornar numa gota forte e consistente e que depois termina na testa, cabelo, costas ou qualquer outro lugar do corpo das pessoas. 

Ora porquê o nome de gotas ácidas? Pergunta a gentil pessoa que lê este Blog, pois tratam-se de gotas que nos corroem por dentro, chegam a mexer com os nossos sentimentos e quando nos acertam na vista, são capazes de nos deixar desorientados durante 15 segundos, quem é que nunca se sentiu super feliz num mero dia pós chuva e se alterou completamente por ter levado com uma gota ácida à muito acumulada numa varanda mesmo no meio da testa? Espero bem que o sol vaporize todas as gotas ácidas!!

Bem e agora acabo este post com uma pergunta, qual é o pior defeito, a ignorância ou a indiferença? Eu cá não sei nem me interessa! HAHAHHAHA Perceberam? Estava a tentar ser engraçado...

Arte de Expulsão Corporal

Oláááá, porra entrou um moscardo pela janela, esperem um bocadinho que eu vou só enxota-lo para fora da minha sala. Já está. Bolas que irritante!
Hoje vou escrever sobre um tema muito debatido em toda a imprensa portuguesa (para além dos assuntos deste blog) explusões corporais! Sim!

Porque que raio veio este delicado assunto à mente do blogger? (perguntam vocês) Pois bem, porque estou chateado e enjoado dessas coisas. É normal libertarmos tais gazes, espirros ou muco, todos fazem isso.
As expulsões corporais são essenciais ao funcionamento do ser Humano e, apesar de ser nojento, tem a sua arte.
Irei dar um exemplo de um local cheio de tais expulsões, os transportes públicos! É mais do que conhecido pelos portugueses, nos transportes públicos pode-se sentir e interpretar tão bem a arte do espirro, as gotículas da tosse e a essência da flatuência. Todos nós somos submetidos a estes momentos e, chamem-me esquisito, não aprecio muito este tipo de arte, acho que não tenho estômago para a coisa, prefiro manter-me na ignorancia em vez de apreciar esta arte onde todos são artistas. Um exemplo desta arte é a música, a sinfonia entre estes diversos tipos de instrumentos de expulção, o libertar da primeira tosse  que desencadeia um todo um conjunto de espirros, muco e às vezes fezes.
Epá estou farto de falar sobre isto, adeus.

Gira o Disco

Olááá, o que é isto? Não percebo, estas cenas à que me irritam, mas pronto... 
Ora bem, ando algo desinspirado, deve ser do tempo, estas mudanças climáticas provocam-me uma ligeira dor nos joelhos, é mentira, não me dói nada, só a imaginação, que anda a ser escassa.

Mas nem tudo é negativo, a chuva é algo relaxante, que acalma as ruas Lusitanas, refresca a alma a qualquer um, cada gota no chão é uma melodia nas almas stressadas do dia-a-dia.

O vento é outra história, forte e faz-se ouvir, com uma pujança de elefante, leva tudo à frente sem qualquer tipo de bom senso, faz-nos amar ainda mais o conforto e segurança do nosso lar.

Onde estou eu a chegar com isto? Escrevo e escrevo, mas não digo nada, é a velha história do gira o disco e vai buscar um MP3 porque estás no século XXI.

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D